August 17, 2021
From World Peace Council
102 views

The Portuguese Council for Peace and Cooperation (CPPC) has paid special importance to the promotion of the culture of peace, seeking that the artistic creativity and generosity of its creators – artists from the most diverse areas – contribute to the common goal of defence and promotion of peace, mobilising very diverse sectors for the enjoyment and participation in cultural initiatives and in defence of peace.

Despite the limitations imposed by the epidemic situation in Portugal, including the constraints placed on the use of spaces for cultural enjoyment, the CPPC has been committed to carrying out cultural initiatives, from the north to the south of the country – ensuring adequate sanitary conditions -, in coordination with local government authorities, schools, associations and cooperatives, musicians, visual and performing arts artists, examples of which are the Concerts for Peace, visual arts exhibitions, conferences, among other cultural initiatives.

Noteworthy are the Concerts for Peace promoted by the CPPC with the support of various entities, two of which were held in 2020, in the cities of Porto and Viana do Castelo, and three in 2021, in the cities of Porto, Vila Nova de Gaia and Évora.

The Concerts for Peace, which are already being held annually in some Portuguese cities for the past eight years, took place even in this troubled period – ensuring adequate sanitary conditions – with the support of local government authorities and the solidarity participation of artists, art schools, music, theatre and dance groups.

Generally, each Concert for Peace takes a few months to program, organise and prepare, in a solidary work that involves many dozens of people, including teachers and students from art schools, artists and associations, workers and technicians from local government authorities.

A Concert for Peace is a meeting of wills and creativity, the involvement of hundreds of people in a generous and committed contribution to creating art in defence of peace, which thousands of people enjoy in shows, in which also, in general, they are invited to intervene, chanting “Yes to Peace! No to war!”, in an affirmation of the values of peace and the demand for a world free from aggressions against peoples.

Also worth mentioning are the visual arts exhibitions in support of the cause of peace, which the CPPC promotes with the support of various entities and which involved more than 100 artists, and which took place in Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia and the Algarve.

To mark the 45th. anniversary of the Constitution of the Portuguese Republic, which enshrines important principles in defence of peace, sovereignty and the rights of peoples and cooperation, the exhibition “Peace and Constitution” was on display in Vila Nova de Gaia at the 4th. Gaia 2021International Biennial of Art, with the participation of 62 artists from different parts of the country, who generously agreed to place their creativity at the service of peace. A conference on “Peace and Constitution” was also held, with the participation of artists, journalists, poets and teachers – as had happened previously in the city of Porto, when the CPPC celebrated the 45th. anniversary of the Constitution of the Portuguese Republic, in collaboration with many other organisations.

In the Algarve, various cultural initiatives were organised involving visual artists and musical groups, including an exhibition of visual arts for nuclear disarmament, which toured several municipalities in this region, and which was carried out in collaboration with an association of artists.

Culture to serve the cause of peace also had an important expression in the Meeting for Peace, held in Portugal on June 5th., in the city of Setúbal.

The Meeting held a debate dedicated to the theme of culture and education for peace, where the importance of culture and education for peace was underlined, namely by schools, with debates, lectures, exhibitions and works carried out by students, with the support of teachers and student associations, in the field of visual arts, poetry and music – an area of intervention in which the CPPC has also been involved.

In fact, the Meeting for Peace ended with a cultural moment, with the participation of a young group of artists, which involved music, dance and performing arts on stage, where an hour before these artistic and cultural aspects had been underlined due to the important role they can play in promoting and defending Peace.

The CPPC continues to schedule new Concerts for Peace, more debates and conferences, new exhibitions, promoting culture and education for peace, in a broad united work with artists, schools, local government authorities and associations, affirming the role of culture in defending peace and solidarity among peoples.

July 2021

-/-

A cultura ao serviço da causa da paz

O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) tem dado particular importância à promoção da cultura da paz, procurando que a criatividade artística e a generosidade dos seus criadores – dos artistas das mais diversas áreas – contribuam para o objetivo comum da defesa e promoção da paz, mobilizando sectores muito diversificados para a fruição e participação em iniciativas culturais e em defesa da paz.

Apesar das limitações impostas pela situação epidémica em Portugal, incluindo os constrangimentos colocados à utilização de espaços de fruição cultural, o CPPC tem-se empenhado na realização de iniciativas culturais, de norte a sul do país – salvaguardando as adequadas condições sanitárias –, em articulação com autarquias, escolas, associações e cooperativas, músicos, artistas plásticos e de artes performativas, de que são exemplos a realização dos Concertos pela Paz, de exposições de artes plásticas, de conferências, entre outras iniciativas de âmbito cultural.

Merecem destaque os Concertos pela Paz que o CPPC promove com o apoio de diversas entidades, tendo-se realizado dois em 2020, nas cidades do Porto e de Viana do Castelo, e três já em 2021, nas cidades do Porto, de Vila Nova de Gaia e de Évora.

Os Concertos pela Paz, que já são, nalgumas cidades portuguesas, uma realização com carácter anual durante os últimos oito anos, realizaram-se mesmo nesta época conturbada – salvaguardando-se as adequadas condições sanitárias –, contando com o apoio de autarquias e com a participação solidária de artistas, escolas artísticas, grupos musicais, de teatro e de dança.

Em geral, cada Concerto pela Paz demora alguns meses a programar, organizar e preparar, num trabalho solidário que envolve muitas dezenas de pessoas, incluindo professores e alunos das escolas artísticas, os artistas e as associações, os trabalhadores e técnicos das autarquias.

Um Concerto pela Paz constitui uma reunião de vontades e de criatividade, o envolvimento de muitas centenas de pessoas num generoso e empenhado contributo com vista a construir arte na defesa da paz, que milhares de pessoas fruem nos espetáculos, em que também, em geral, são convidadas a intervir, declarando “Paz sim! Guerra não!”, numa afirmação dos valores da paz e da exigência de um mundo livre de agressões contra os povos.

Merecem igualmente destaque as exposições de artes plásticas em prol da causa da paz, que o CPPC promove com o apoio de diversas entidades e que envolveram mais de 100 artistas, e que se realizaram em Viana do Castelo, em Vila Nova de Gaia e no Algarve.

Assinalando os 45 anos da Constituição da República Portuguesa, que consagra importantes princípios em defesa da paz, da soberania e dos direitos dos povos e da cooperação, esteve patente em Vila Nova de Gaia a exposição “Paz e Constituição”, na 4ª Bienal Internacional de Arte Gaia 2021, que contou com a participação de 62 artistas, de diversas zonas do país, que generosamente aceitaram colocar a sua criatividade ao serviço da paz. Realizou-se igualmente uma conferência sobre a “Paz e Constituição”, com a participação de artistas, jornalistas, poetas e professores – tal como tinha acontecido anteriormente na cidade do Porto, quando o CPPC celebrou o 45º aniversário da Constituição da República Portuguesa, em colaboração com muitas outras organizações.

No Algarve, organizaram-se diversas iniciativas culturais envolvendo artistas plásticos e grupos musicais, incluindo uma exposição de artes plásticas em prol do desarmamento nuclear, que percorreu diversos municípios desta região, e que foi realizada em colaboração com uma associação de artistas.

A cultura ao serviço da causa da paz teve igualmente uma importante expressão no Encontro pela Paz, realizado em Portugal no passado dia 5 de junho, na cidade de Setúbal.

O Encontro contou com uma mesa de debate dedicada ao tema da cultura e educação para a paz, onde foi sublinhada a importância da cultura e da educação para a paz, nomeadamente por parte das escolas, com a realização de debates, palestras, exposições e trabalhos realizados pelos alunos, com o apoio dos professores e das associações de estudantes, seja na área das artes plásticas, seja da poesia e da música – área de intervenção em que o CPPC também se tem empenhado.

Aliás, o Encontro pela Paz encerrou com um momento cultural, com a participação de um jovem grupo de artistas, que envolveu música, dança e artes performativas no palco, onde uma hora antes estas vertentes artísticas e culturais tanto tinham sido sublinhadas pelo importante papel que podem desempenhar na promoção e defesa da Paz.

O CPPC continua a programar novos Concertos pela Paz, mais debates e conferências, novas exposições, promovendo a cultura e a educação para a paz, num amplo trabalho unitário junto de artistas, escolas, autarquias e associações, afirmando o papel da cultura na defesa da paz e na solidariedade com os povos.

Julho 2021




Source: Wpc-in.org